Em junho deste ano, pegamos um dos feriados para visitar Curitiba. Desde pequena, estou acostumada a ir ao Paraná visitar minha família, mas nunca tínhamos tirado um tempo para realmente conhecer Curitiba. E posso dizer? Me surpreendeu do começo ao fim.
A cidade é linda, faz jus a fama de cidade planejada e oferece muitos atrativos para os turistas. Tem muita coisa para conhecer, diversos museus, parques e muitos restaurantes. De outro lado, apresenta uma excelente qualidade de vida para os moradores, nós voltamos pensando no dia que iríamos nos mudar pra lá.
É uma cidade limpa e eu achei super segura, não tivemos problemas para andarmos no centro nem mesmo tarde da noite.

Como chegar?

Para chegar a Curitiba, se for de avião, o aeroporto mais próximo fica em Santo Antonio do Pinhal. Não se preocupe em ficar sem carro, Curitiba tem uma linha de ônibus dedicada ao turismo com ônibus especial panorâmico, que passa pelos pontos turísticos mais importantes, com um limite de até 4 embarques por dia, pelo valor de R$ 45.
Se for de carro, a cidade é super sinalizada e fácil de se locomover.

Quantos dias ficar?

Curitiba tem muita coisa pra fazer! Se quiser visitar os museus, aconselho ficar 3 dias pra fazer tudo com tranquilidade. Para o roteiro que fizemos, dois dias são suficientes (veja o roteiro abaixo), e se tiver um dia a mais, não deixe de visitar Morretes e provar o barreado, sua comida típica.

Dia 1

Parque Barigui

Eu não dava nada pra esse parque, mas ele é muito bonito e acho que vale a pena incluir no roteiro. É o parque mais frequentado pelos curitibanos e conhecido também pelas capivaras que reinam no local.  O parque é cortado pelo rio Barigui e tem um lago enorme que faz contraste com os prédios da cidade.
snapseed-50

Santa Felicidade

Felicidade literalmente define esse lugar. Por quê? Pensa em um lugar com chocolate, vinho e excelentes restaurantes? É o bairro de Santa Felicidade, um cantinho italiano em Curitiba. A cidade é super charmosa e bem pequena. Se tiver com tempo de sobra, vale a pena dar uma volta por lá.
Se quiser ir nos lugares certos, anotem dois nomes: Vinicola Durigan e almoço no Restaurante Madalosso.

Durigan

É talvez a vinicola mais tradicional de Curitiba, a família está no país há mais de 170 anos. Na vinicola, além da degustação de vinho, você pode experimentar queijos frescos e chocolate. Se gostarem de vinho doce, não deixem de experimentar o Tinto Licoroso e o Branco Licoroso, não consigo escolher qual dos dois é melhor!

Restaurante Madalosso

É o maior da América, eleito pelo Guiness book, e eu já ouvi dizer que é um dos maiores restaurantes do mundo. Seus salões são realmente grandiosos e tem capacidade para acomodar até 4.600 pessoas. Aos domingos, o restaurante fica lotado com fila de espera de horas. Mas tudo vale a pena pela comida maravilhosa que eles servem. Funciona como um rodízio, seu forte são as massas de todos os tipos e sabor verdadeiramente italiano. Além disso, é servido salada, maionese de legumes, frango à passarinho, risoto, figado de galinha e polenta frita (a melhor que eu já comi na vida), tudo no sistema coma a vontade e repita quantas vezes quiser!

Ópera de Arame

Com a estrutura toda de arame e vidro, a Ópera de Arame é um espaço reservado para todos os tipos de espetáculos, do popular ao clássico. Faz parte da Pedreira Paulo Leminski, um paredão de rocha de mais de 30m cercada por lagos e vegetação abundante. Uma pequena cascata se forma entre as rochas e torna o lugar ainda mais bonito.

Parque Tanguá

Simplesmente o pôr do sol mais lindo que eu já vi na vida!
O parque é “dividido” em duas partes. Na parte de cima, tem um espelho da água e um mirante com 65m de altura. Na parte inferior, tem uma cascata e uma imensa área verde que envolve todo o parque. Também foi construído em cima de uma antiga pedreira, vale a pena chegar um pouco antes do pôr do sol para explorar a parte debaixo do parque (são entradas diferentes).
DCIM100GOPROGOPR6200.
snapseed-22 DCIM100GOPROGOPR6201.
Dica: Depois do pôr-do-sol é que o espetáculo acontece, sem palavras pra esse céu e essas cores.
DCIM100GOPROGOPR6238.

snapseed-19

Ponta Grossa

A cidade de Ponta Grossa fica a 90 km de Curitiba, nela está o parque Estadual de Vila Velha, uma unidade de conservação composta por Furnas, uma cratera gigante com água e vegetação em seu interior, pela Lagoa Dourada e pelos Arenitos, que apesar de não parecer, são super frágeis. Durante a visitação, é possível ver o quanto já se perdeu de toda a estrutura.
A trilha é leve e super demarcada, tranquila de fazer. O ingresso custa R$ 18 para as 3 atrações ou R$ 10 para visitar apenas os arenitos. Estudantes e idosos pagam meia.
Super dica: chegue cedo, pois o parque tem limite de visitação e a Lagoa Dourada e Furnas acabam rápido.

Buraco do Padre

O Buraco do Padre ficou bem conhecido pelo Instagram recentemente. Trata-se de um buraco com uma cascata imponente de 30m de altura. O acesso é possível por baixo por uma trilha de 1km. Fica em Ponta Grossa, mas um pouco mais distante, são quase 30km do Parque Estadual de Vila Velha por estrada de terra.
No dia que fomos, o lugar estava fechado para manutenção (reabriu em 01/08). Vale a pena pesquisar antes na internet (nós pesquisamos na época não estava falando nada, nem tinha um aviso nas placas da estrada).
Mas é um lugar lindo que continua com uma estrelinha para a próxima vez que voltarmos.

Jardim Botânico

Clássico! Não pode deixar de ir! O ideal é assistir ao entardecer lá. O Jardim Botânico vai muito além da grande estufa de vidro, inspirada no Palácio de Cristal de Londres. Além da imensa área verde, lagos e espécies de animais, o Jardim Botânico conta com o Jardim de Sensações, são diversos tipos de plantas com cheiros e texturas diferentes, é o lugar ideal para quem quer sentir a natureza com mais intensidade.

Centro de Curitiba

O centro de Curitiba é um charme e faz você se sentir na Europa. Lojas dividem espaço com restaurantes e suas mesas na calçada que é interditada para carros. Já ouvi falar que era um lugar perigoso, mas nos sentimos super seguros, sempre tinha algum policial por perto.

Onde comer?

Além do Madalosso, é claroooo! Curitiba tem diversas opções de restaurantes próximos ao Centro que variam em preços e especialidades gastronômicas. A cidade ainda conta com diversos barzinhos. Então, depende muito da vibe que você está.

Hard Rock Café

Hard Rock é Hard Rock né? Sou completamente apaixonada pelo conceito, pelo espetáculo e pelo ambiente. O HRC de Curitiba é novo e tem três andares, os dois primeiros com mesas para o jantar e o último com uma área reservada para shows. Além disso, durante alguns momentos, a música muda e o espetáculo fica por conta dos waiters, que tem um atendimento excepcional.
A fila de espera chega a 3h no sábado para as mesas. A área do bar e o mezzanino é livre. Não paga para entrar, nem para assistir ao show. Ao sair, você ainda passa pela lojinha, uma perdição pra quem se rende aos produtos exclusivos.

Onde ficar?

Ficamos no Trevi Hotel & Business, é um hotel executivo, fica a uma quadra do calçadão do centro. O hotel é super confortável, limpo e zero barulhento (nossa maior preocupação por ser no centro). O café da manhã era bom com bastante variedade de frutas, pães, frios e doces.
Reservei pelo booking e tem o melhor custo-beneficio de Curitiba, pagamos uma média de R$ 200 por pessoa e por 3 diárias em um quarto luxo.